Role o mouse

O Portal

O Portal OXE é uma das ações de mediação leitora do projeto OXE: literatura baiana contemporânea  que ocorre no IFBA, campus Santo Amaro, desde 2014. A criação do portal foi motivada pela necessidade de ter disponível um acervo que possibilitasse acesso a textos literários de autorxs baianxs de gerações distintas e gêneros diversos, voltado principalmente estudantes da educação básica. Além de ser um instrumento educacional, o site possibilita a circulação de textos literários baianos em mídias e redes digitais.

Ler mais sobre o projeto

Autores

  • Salete Maria

    Mulheres fazem regime Fazem clube, fazem time Fazem aqui e acolá
  • Antônio Barreto

    A forma da poesia Não é muito radical Porque a simplicidade É muito fundamental
  • Wladmir Saldanha

    qualquer ponte é sonho e cimento, mas a ponte de Ilhéus a Ilhéus não será só esquecimento?
  • Laura Castro

    he gives me river lessons with delicate eyes
  • Geraldo Lavigne

    borbotões de vento desfolham-nos tombam-nos
  • Alex Simões

    quanto mais reprincipio mais desconheço este mundo
  • Sandro Ornellas

    Sinto perdido o mundo que não vi, a guerra em que não lutei, o poema que não escrevi. Nem escreverei
  • Iray Galrão

    Porquê o que importa na vida É TRATAR DE SER FELIZ.
  • Cláudia Barral

    Um disfarce do azul. Pálpebras que dormem e acordam Os sonhos de uma lagarta.
  • Ederval Fernandes

    E então fiz algo com isto e aquilo:   restos de duas jornadas,   sete vidas bandidas
  • Darcy Brito

    Os pingos d'água nada mais eram que minhas lágrimas
  • Valdir do Carmo

    ...para o menino sem nome, nada mais era de se estranhar no mundo dos sentidos.
  • Carlos Barbosa

    Traz o bebê próximo ao rosto. Procura sentir a respiração. Não tem coragem de tocá-lo. Treme.
  • Herculano Neto

    Não tenho medo de ser simples tenho medo de ser oco
  • Ana Luisa Barral

    Tudo é norte
  • Ricardo Thadeu

    Talvez encontrem a caixa preta: Os motivos, a pane, a falha humana.

Autores

Gláucia Lemos

O ruído das águas correndo. Os braços vigorosos de João enlaçando seu corpo.

Julio Braga

indaka de kafurungonga da ciência etnológica

Edu O.

Mas, lágrima é água triste Não serve para irrigar a terra, Nem torna mais feliz o chão

Luciany Aparecida Alves

Eu salivo alegria