Role o mouse

O Portal

O Portal OXE é uma das ações de mediação leitora do projeto OXE: literatura baiana contemporânea  que ocorre no IFBA, campus Santo Amaro, desde 2014. A criação do portal foi motivada pela necessidade de ter disponível um acervo que possibilitasse acesso a textos literários de autorxs baianxs de gerações distintas e gêneros diversos, voltado principalmente estudantes da educação básica. Além de ser um instrumento educacional, o site possibilita a circulação de textos literários baianos em mídias e redes digitais.

Ler mais sobre o projeto

Autores

  • Luciany Aparecida Alves

    Eu salivo alegria
  • Carlos Santiago Fontoura

    a infinitude do mar é mero retrato nenhuma paisagem
  • Lidiane Nunes

    A visão do mar me encanta mais do que qualquer poesia.
  • Danilo Lumiano

  • Sandro Penelú

  • Romildo Alves

    Tudo chega, às vezes sem querer Seja em forma de dor ou de prazer
  • Victor Az

    Maria acordou cedo, bebeu um copo de leite, foi pra academia,
  • Mariana Paiva

    Saudade não conhece manchete ruim de jornal.
  • Núbia Paiva

    Vou comendo pelas beiras Minha agonia semi-nua Vou abrindo essa porteira De querer ser sempre tua
  • Elton Magalhães

    No recôncavo baiano Onde o Brasil começou Santo Amaro se destaca Pois em muito nos marcou
  • Patrícia Lins

    Eis que é a vida Dizem que é para ser vivida Mas como não viver Se já se está vivo?
  • Pollyana Lima

    Brigite temia que seus pensamentos denunciassem os segredos pedregosos que a atormentavam
  • Rosana Paulo

    Torcia pela vilã ardilosa e malsã
  • Carlos Barbosa

    Traz o bebê próximo ao rosto. Procura sentir a respiração. Não tem coragem de tocá-lo. Treme.
  • Martha Galrão

    O que me mata é a falta de seus olhos nos meus.
  • Denisson Palumbo

    e no bagaço do bagaço do bagaço, um fiapo de vida.

Autores

Núbia Paiva

Vou comendo pelas beiras Minha agonia semi-nua Vou abrindo essa porteira De querer ser sempre tua

Julio Braga

indaka de kafurungonga da ciência etnológica

Danilo Lumiano

Wladmir Saldanha

qualquer ponte é sonho e cimento, mas a ponte de Ilhéus a Ilhéus não será só esquecimento?