Role o mouse

O Portal

O Portal OXE é uma das ações de mediação leitora do projeto OXE: literatura baiana contemporânea que ocorre no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia, campus Santo Amaro, desde 2014. Constitui-se em ações que promovem a leitura literária como prática de fruição estética, de entretenimento e de interação social, privilegiando a produção literária dos finais da década de 70 do século XX aos dias atuais, abarcando autores que selecionaram o estado como local de moradia e nicho de produção criativa.

Ler mais sobre o projeto

Autores

  • Lilian Almeida

    Todos os carinhos eram intensos, cheios da ausência de muitos dias.
  • Ederval Fernandes

    E então fiz algo com isto e aquilo:   restos de duas jornadas,   sete vidas bandidas
  • Cleberton Santos

    Palavras, todas as palavras que eu pudesse recitar o mundo
  • Evanilton Gonçalves

    Ela sorriu lascivamente, ou assim pareceu. Um encontro de olhos e uma sensação de algo proibido
  • Wesley Correia

    mistério errante das coisas sem tempo.
  • Cláudia Barral

    Um disfarce do azul. Pálpebras que dormem e acordam Os sonhos de uma lagarta.
  • Lidiane Nunes

    A visão do mar me encanta mais do que qualquer poesia.
  • Elieser César

    Quitéria se vestiu como a heroína da história para desfilar no Dois de Julho
  • Rosana Paulo

    Torcia pela vilã ardilosa e malsã
  • José Inácio Vieira de Melo

    O sentido da tua face, nenhum espelho concentra.
  • Ricardo Thadeu

    Talvez encontrem a caixa preta: Os motivos, a pane, a falha humana.
  • Neide Cortizo

    A perfeição vive em instantes não se instala, é mutante.
  • Margot Valente

    Não quero ir e pronto! Só faço o que quero e quando quero, ora essa!
  • Daniela Galdino

    Eu confesso: sou intrusa, sou inúbil, sou inúmera.
  • Ione Carla

    Deixando seus mais doces segredos Escarnados em mim.
  • Clarissa Macedo

    É preciso aprender das pedras

Autores

Rosana Paulo

Torcia pela vilã ardilosa e malsã

Daniela Galdino

Eu confesso: sou intrusa, sou inúbil, sou inúmera.

Tiganá Santana

Menino caminha pra sonhar Dona Terezinha é o chorar Seu Zezinho de Aninha é o chegar, 10 de agosto é

Ana Luisa Barral

Tudo é norte